8

O LADRÃO DO TEMPO (John Boyne)


Oi gente que ama livros, hoje venho com a resenha do 13º livro lido em 2014 e foi O LADRÃO DO TEMPO (John Boyne). Na mesma semana que este livro foi lançado no Brasil, eu o comprei por dois motivos: O primeiro foi porque qualquer coisa que tenha o nome do John Boyne como autor, precisa estar na minha estante e segundo porque este foi o primeiro livro escrito por ele e apenas 15 anos depois, lançado em terras tupiniquins.

Não sou apenas admiradora da narrativa do Boyne, como sou tiete mesmo. Amei todos os livros que pude ler dele e embora minha expectativa quanto a este livro fosse menor, uma vez que eu sabia que era o seu primeiro livro publicado, estava ansiosa para conhecer esta história.

O livro nos traz Matthieu Zelá, um homem que não morre e embora já tenha 256 anos, sua aparência é de um homem de meia idade. Matthieu  nasceu na França e testemunhou o padrasto matar sua mãe violentamente. Após ver o assassino pagar pelo seu crime, ele foge com o meio irmão Tomás para a Inglaterra e no navio ele conhece Domenique, a primeira mulher a quem amou intensamente.

A história tem seu início em 1999, Matthieu acompanhou durante dois séculos e meio a linhagem de seu meio irmão ser composta por homens irresponsáveis que acabavam morrendo muito jovens. Ele está assistindo a mesma história mais uma vez, seu sobrinho Tommy é um galã de novelas, muito popular entre as celebridades, mas está consumindo sua vida com drogas e desta vez, Matthieu decide interferir e salvar seu sobrinho, embora ele saiba que a tarefa não será nada fácil.

John Boyne dividiu a narrativa em três tempos: O atual, 1999. O inicio de tudo, 1758 quando ele fugiu da França e entre uma coisa e outra, situações que ocorreram ao longo de sua vida, envolvendo diversos fatos históricos em que ele pode ser testemunha direta: Revolução Francesa, Revitalização de Óperas, renascimento das Olimpíadas, revolução industrial, início da indústria cinematográfica em Hollywood, caça aos comunistas nos EUA, quebra da bolsa de valores de Nova York e outros mais.

O livro possui um toque de humor discreto, mas que ainda assim me fez dar risada de algumas situações. Em outros momentos, a melancolia de um homem que não tem expectativa de descanso e pode ver uma série de coisas  e pessoas diferentes.

A história em si não possui um clímax ou um ponto alto, mas ainda assim, a forma como os tempos se entrelaçam nos faz conhecer toda a trajetória de Matthieu sem ser cansativa. Todos os capítulos foram extremamente interessantes e quando a narrativa se amarra e Matthieu se despede do leitor, senti aquela satisfação de ter lido um livro excelente.

Algumas características da escrita do Boyne são identificadas logo nos primeiros parágrafos e ainda que eu tenha percebido o quanto ele aprimorou seu talento através dos outros livros, esta foi uma das histórias mais bem contadas que já tive oportunidade de ler.

Não sou de falar muito sobre as capas dos livros em geral, mas questiono essa linha adotada para os livros do John Boyne que sempre nos remete ao grande sucesso do autor: O MENINO DO PIJAMA LISTRADO. Na minha opinião, este livro merecia uma capa exclusiva, algo que pertencesse apenas à Matthieu e sua história de vida peculiar. Uma curiosidade sobre a capa é que em um dado momento da narração, Tommy comenta com Matthieu que as mãos das pessoas de verdade em desenhos animados, possuem 5 dedos, mas as mãos de personagens criados, possuem apenas 4 dedos. A mão que segura o relógio na capa, possui 4 dedos. Só esse detalhe, já merecia uma resenha própria.

Enquanto meu filho brincava
na piscina, eu lia...

Enfim, o livro é ótimo. A criatividade do autor e o excelente trabalho de pesquisa que ele fez para construir uma história com um pano de fundo histórico tão rico, fazem deste livro uma leitura obrigatória. Recomendo para todos os tipo de leitores e mesmo sabendo que este não é o seu melhor livro, ainda assim é um excelente trabalho, muito além das minhas expectativas.
"Às vezes, você percebe que uma pessoa não merece o seu amor, mas ama mesmo assim. Você cria um vinculo afetivo inexplicável com ela, que não se rompe nem mesmo quando o seu objeto de amor quebra a confiança que você depositara nele."

Um pouco sobre o autor: John Boyne nasceu na Irlanda em 30 de abril de 1971. Seus livros publicados no Brasil são:
O menino do Pijama Listrado
O Garoto do Convés
O Ladrão do Tempo
Tormento
Comentários
8 Comentários

8 comentários:

  1. Olá Ivi!
    Sempre ouvi as pessoas falando do autor, mas nunca tinha tido curiosidade de lê-lo (nem mesmo o menino do pijama listrado) até hoje. Sua resenha acendeu a minha curiosidade e eu sinto que preciso ler esse livro. A premissa me atraiu bastante e, o fato de ele ser "imortal" tb!
    Parabéns pela resenha!
    Bjs
    Nica

    http://www.draftsdanica.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Confesso que não conheço a escrita do autor, assisti ao filme O Menino do Pijama Listrado e adorei, mas o livro mesmo não cheguei a ler. Uma vergonha pois pelo que vejo ele tem grandes obras.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  3. Não havia notado que as capas remetem ao menino do pijama, na verdade eu havia deduzido que era algum tipo de padrão e tal, quando disso isso, realmente... acho que vc está certa... rsrs... Bem quanto a resenha, realmente vc está quase tendo uma overdose do Boyne... kkkkkkkkkkkkkkk... a história parece ser muito interessante e me instigou bastante, fiquei bem curiosa, mais um livro pra minha infinita lista de desejos...

    ResponderExcluir
  4. Como comentei antes realmente se parecem as capas, as vezes acho legal as capas serem parecidas porque de cara ja sabe qual é o autor hauahauaha...
    Mas voltando ao livro, eu adoro livros q falam sobre acontecimentos historicos, principalmente 1° e 2° guerra e revolução francesa... e poxa presenciar isso e muito mais vivendo séculos deve ser uma loucura..
    Me interessei pelo fato de o personagem querer ajudar seu descendente agra que ja cansou de ver os outros fracassarem...
    Otima resenha gata..
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Bom dia!
    Vim conferir essa resenha justamente por se tratar de um livro escrito por John Boyne. Recentemente li O Menino do Pijama Listrado, mas até então é o único que tive a oportunidade de ler. Achei a história interessante, talvez até por envolver alguns fatos históricos me chamou mais a atenção. Boa a resenha, gostei de conhecer o blog e de cara já estou participando de um sorteio por aqui, hehehe! Um abraço!
    http://www.duasepocas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Grande fã do John não? Hsuhahahahhah
    Bom as vezes nao gosto muito de livros q fazem muita viajem ao passado, mas parece que este é legal.e esse cara viveu hein u.u
    Vo te contar..deve ser ruim nunca fazer nada e so observar seus parentes indo por água abaixo... Mas cmo vc disse q o personagem fala :"agra nao aguento tenho que ajudar pelo ao menos um" (palavras minhas kkkk)
    Eu imaginria um final onde apos ajudar e ver alguem de sua familia bm sucedida o personagem morreria.. o.o
    So meu pensamento...
    Bjbj

    ResponderExcluir
  7. De cara eu vi que era o mesmo autor de O Menino do Pijama Listrado, mais uma jogada de marketing, ao estilo de "Como eu era antes de você" e "A garota que você deixou para trás", que também têm capas parecidíssimas. Gostei da história, um cara com 256 anos e ainda contando? Observando a linhagem da sua família nascer e morrer, ininterruptamente, além de presenciar fatos históricos com uma perspectiva única. Gostei muito mesmo.

    ResponderExcluir
  8. Ahhhhhhhhhhhhhhh eu queria muito ler os livros dele. Sério.
    Primeiro que as capas dos livros dele são sempre parecidinhas, né?
    Mas enfim, a história parece bem envolvente e eu fiquei muito empolgada em ler algo sobre um personagem assim. Gostei.

    ResponderExcluir

 
♥ Meu Amor Pelos Livros ♥ - Todos os direitos reservados © 2014