11

Quando Eu Parti (Gayle Forman)

Ficha Técnica:
Nome Original: Leave Me
Autora: Gayle Forman
Tradução: Ryta Vinagre
País de Origem: Estados Unidos
Número de Páginas: 308
Ano de Lançamento: 2016
ISBN-13: 9788501107657
Editora: Record

Oi gente que ama livros, hoje venho com a resenha do 46º livro lido em 2017 e foi Quando Eu Parti (Gayle Forman). Sou uma grande fã dos livros desta autora e quando soube que o seu livro com abordagem adulta, seria lançado no Brasil, quis ter, mesmo sem saber do que se tratava. Inclusive, até o momento em que peguei o livro para iniciar a leitura, desconhecia completamente a sua história.

O livro nos traz a Maribeth, uma mulher com quarenta e poucos, inserida em uma rotina muito tensa e estressante: ela é editora de uma revista famosa, mãe de gêmeos pequenos e casada com Jason. A loucura do dia a dia de Maribeth, com compromissos no trabalho e muitas atividades com as crianças, acabam propiciando um infarto e como se não fosse o suficiente, ela é submetida a duas pontes de safena.


Maribeth causa um grande susto no marido, que em função do repouso que ela tem que fazer por causa da cirurgia cardíaca, precisa assumir sozinho a direção da casa e acaba se atrapalhando em tantas coisas por executar. Ele até chama a sogra para ajudá-lo, mas a mãe de Maribeth acaba atrapalhando mais que ajudando.

Preocupada com a sua saúde e no limite do estresse, Maribeth decide ir embora. Ela coloca algumas trocas de roupa na mala, saca uma boa quantidade de dinheiro, vai para a estação de trem, compra uma passagem para Pittsburgh e simplesmente desliga o celular e não verifica mais seus e-mails. Acontece que a escolha do destino, embora tenha sido feita em um momento de surto, tem uma motivação: Maribeth é adotada e quer descobrir quem é a sua mãe biológica, se a cardiopatia que ela tem é genética e seus filhos também podem vir a sofrer com isso.

O livro então irá se desenvolver neste exílio e na busca de Maribeth por descobrir em que circunstâncias ela foi concebida e abandonada pela mãe. O processo de busca de Maribeth nos apresenta outros personagens importantes para o enredo. Durante seu tempo na nova cidade, ela precisa fazer consultas com um cardiologista para saber se a cirurgia deu certo e então conhece o Dr. Grant. Ela aluga um apartamento e faz amizade com jovens universitários, Sunita e Todd e claro, a pessoa responsável pela investigação da sua adoção, Janice, se tornará uma amiga querida.


Eu gostei bastante da leitura, embora questione muito a motivação de Maribeth em abandonar sua casa e suas responsabilidades para mergulhar no passado. É quase impossível não julgá-la, uma vez que temos filhos pequenos envolvidos na questão e que não precisam ser culpados pelo seu momento de sofrimento. Porém, o livro é muito gostoso e reflexivo de ser lido. Com algumas voltas ao passado, a personagem nos conta como conheceu Jason e porque se apaixonou. Como foram as tentativas em se tornar mãe, e claro, como era a relação com os pais adotivos. A narrativa nos dá detalhes sobre a sua formação profissional e do quanto ela se importa com seu trabalho. O livro nos apresenta integralmente a personagem e isso se dá de forma tão fluida e natural, que quando encerrei o livro, tive a impressão que conhecia a Maribeth desde criança.

Os personagens que se movimentam ao redor dela são ótimos. Dr. Grant com sua bagagem de perdas e culpas, nos dá diálogos inteligentes; Todd e Sunita são muito bem-humorados e o alívio cômico do livro é todo de responsabilidade deles. Janice é maravilhosa e tem um segredo interessante que a faz se dedicar muito na procura de mães que deram seus filhos para a adoção. E Jason, marido de Maribeth que a princípio faz aquele padrão de marido desinteressado, que deixa para a esposa todas as questões chatas de um lar, vai crescendo ao longo da narrativa e nos dando argumentos para que possamos absolvê-lo da sua apatia.

Sem dúvida, este é um livro para um público adulto porque traz questões muito características desta idade. Emprego, casamento, filhos e a preocupação com a saúde. Embora os temas sejam de fato sérios e peculiares, ainda temos muito sentimento e as emoções seguem permeando todas as decisões que a protagonista precisa fazer.


Mais uma vez, a autora me emocionou em algumas partes do livro, porque para mim foi impossível não se identificar com toda esta questão da correria do dia a dia e do quanto é necessário nos dividir em dez pessoas para dar conta de fazer tudo. Com uma intimidade absurda com as palavras, temos um texto simples, bem escrito, mas tocante e a escrita da Gayle segue emocional e inteligente, dando um equilibro forte para o texto.
"A verdade te libertará - mas antes te fará infeliz."
Recomendo para quem gosta de drama, com personagens imperfeitos, mas que buscam a cada paragrafo, melhorarem como pessoas. É um livro que não tem foco no romance e nem uma trama com reviravoltas, mas, ainda assim, com um enredo que me prendeu do início ao fim e que me deu uma sensação de satisfação imensa ao concluir a leitura.

Eu adorei!


Um pouco sobre a autora: Gayle Forman nasceu nos Estados Unidos e lá se formou em jornalismo. Escreveu muitos artigos para várias revistas e seu primeiro livro foi publicado em 2007. No Brasil, seus livros publicados são:

SE EU FICAR
PARA ONDE ELA FOI
APENAS UM DIA
APENAS UM ANO
EU ESTIVE AQUI
O QUE HÁ DE ESTRANHO EM MIM
QUANDO EU PARTI
Comentários
11 Comentários

11 comentários:

  1. Ola
    Adorei poder conferir suas impressões a respeito dessa obra! Eu também já fiz essa leitura e gostei muito do desenvolvimento. As questões são mesmo mais adultas, e eu adorei essas perspectivas, e o quanto há para se refletir e se questionar. Compreendo bem sobre seu comentário a respeito de se emocionar em algumas partes do livro.
    beijos, F

    ResponderExcluir
  2. Oie!
    Eu já o livro e gostei muito da trama, o que não gostei tanto foi do final, par amim, faltou um epilogo.
    mas como se trata da autora, a trama sempre é emocionante, e traz uma tela delicado e reflexivo.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  3. Oii!
    Dessa geração de autores,a escrita da Gayle é uma das mais maduras e também dramáticas, mas eu li se eu ficar e pra onde ela foi e sinceramente não curti muito,achei meio morno, não sei e a partir dai não li mais nada da autora.
    Confesso que essa trama não me convenceu muito por ter crianças, mas quem sabe pode ser surpreendente?
    Gostei muito da resenha!

    ResponderExcluir
  4. Oi Ivi!

    Tudo bem? Eu não gosto muito da escrita da Gayle, acho que me decepcionei demais com Se Eu Ficar que meio que tomei antipatia da autora (achei aquele final bizarro!), mas enfim. É ótimo que tenha conseguido se identificar com a trama e as situações que ela apresenta e realmente hoje em dia nós temos mesmo que nos virar em mil para dar conta de tudo.

    Beijinhos - Jessie
    www.paraisoliterario.com

    ResponderExcluir
  5. Olá, Ivi!
    Li apenas um livro da autora até agora, mas gostei bastante da escrita dela. Tenho certeza que gostarei desse também, pois o enredo me cativou e suas impressões sobre a leitura reforçaram o meu interesse!
    Abraços,
    Cidália.

    ResponderExcluir
  6. Olá! Já ouvi falar deste livro. Eu adoro drama. Eles dos leva a mergulhar, do cotidiano de uma forma, incrivel. A historia deste livro, não é diferente, da realidade, de muitas mulheres. Que se sentem sobrecarregadas, no dia a dia. A leitura é valiosa, e creio que vale muito, apena. Quando tiver oportunidade vou le-ló sem dúvidas. Abraço

    ResponderExcluir
  7. Olá,

    Também amo a Gayle Forman, quero ler tudo dela. Ainda não li esse livro, mas me interessei bastante pela premissa, li alguns comentários negativos, porém, ainda assim tenho o desejo de ler e conhecer essa história. Saber que a muitas reviravoltas no livro me deixa mega curiosa, quero ler muito em breve.

    Beijos,
    entreoculoselivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Já ouvi falar bastante dessa autora, mas nunca li nada dela. Nunca li porque até então nenhum livro tinha despertado meu interesse, até então. Apesar de ser um tema comum, gostei bastante do plot. E durante suas impressões saber que o foco não é romance e que contém reviravoltas, me deixou mais interessada ainda. Não gosto de livros mornos, gosto de livros que instigam minha curiosidade.

    ;D
    Nelmaliana Oliveira

    ResponderExcluir
  9. Oi Ivi,
    Ainda não li esse livro, mas tive outras experiências com a autora e, bem, me decepcionei em algumas vezes, sabe? Curti muito sua resenha e achei muito bacana você ter dito que, mesmo não compreendendo a protagonista, você tenha curtido a leitura.
    Vou ter que anotar a dica e tirar minhas conclusões.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  10. Ou Ivi,
    Eu até agora só li um título de autora, não foi um livro que me envolveu completamente, mas consegui entender sua mensagem. Pela sua opinião, acho que esse tem a mesma linha, mas o fato dos problemas serem mais adultos, me chamam a atenção para querer saber mais. De início também não concordo com o posicionamento de Maribeth, mas espero pelo menos compreender.
    Bjim!
    Tammy

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Nunca li nada do autor, assisti uma adaptação, mas numca me interessei realmente pela leitura.
    Esse livro em específico foi o qie menos me atraiu, justamente pelo fato da protagonista abandonar sua família em uma empreitada que poderia ser realizada sem o abandono sabe?
    Enfim, vou deixar a dica passar.
    Abs e parabéns pela resenha ^^

    ResponderExcluir

 
♥ Meu Amor Pelos Livros ♥ - Todos os direitos reservados © 2014