12

Confess (Colleen Hoover)


Oi gente que ama livros, hoje venho com a resenha do 51º livro lido em 2015 e foi CONFESS (Colleen Hoover). Não preciso nem ler a sinopse dos livros desta autora para desejar ler o livro todo, então, quando tive a oportunidade de ler este aqui, lançamento de 2015 nos Estados Unidos, me joguei na leitura como se não houvesse amanhã.

As primeiras páginas do livro já são de arrancar lágrimas: Auburn e Adam estão se despedindo. Eles tem 15 e 16 anos respectivamente e Adam está no estágio final de um câncer. Eles começaram a namorar antes que Adam recebesse o diagnóstico e eles ainda moravam em Portland, mas com a descoberta da doença, a família dele decidiu levá-lo para Dallas e neste momento final, Auburn largou tudo em Portland para ficar ao lado do namorado, mas nem a família dele e nem a dela, apoiam o fato dela largar sua vida em função deste amor. Então Adam morre e ela volta para a sua vida.

Um intervalo de cinco anos se passa e reencontramos Auburn, de volta a Dallas, preocupada com as finanças e desesperada por um segundo emprego porque ela precisa de uma boa quantia em dinheiro para poder pagar um advogado. E nessa busca, ela vai parar no estúdio de arte do Owen, um artista plástico que produz telas a partir de confissões: as pessoas escrevem confissões em pedaços de papel, ele lê o que as pessoas escrevem e encontra inspiração para pintar. Owen precisa de uma assistente para a exposição que fará naquela noite e assim, ele e Auburn acabam se conhecendo.

Previsível, mas não menos interessante, Owen e Auburn se envolvem e o livro se desenvolve sobre os segredos que cada um carrega e o quanto estes segredos podem impedí-los de ficar juntos. Auburn detesta Dallas, mas ela tem um motivo muito forte para ter regressado depois de tantos anos. Owen está traumatizado com a morte da sua mãe e do seu irmão em um acidente de carro e luta contra seus monstros interiores.

Mais uma vez a Colleen carrega no drama, mas desta vez a narrativa não foi tão intensa e bonita como nos livros anteriores da autora. A história é um pouco clichê e com reviravoltas previsíveis, mas ainda assim é fácil se envolver com os personagens principais e torcer por eles a cada página lida. É um livro enxuto, curto, dramático, mas menos visceral que as outras histórias que a Colleen nos contou e, na minha opinião, é o livro mais fraco dela. Conforme as camadas da história vão se descortinando para o leitor, fica óbvio o que está para acontecer e a maneira como ela resolveu as questões no final do livro, ao meu ver, foram rápidas e um pouco artificiais.

O livro tem um ritmo de filme: as cenas, a organização cronológica dos acontecimentos e a descoberta dos mistérios me fez lembrar cenas roteiriadas e não me surpreenderia se surgisse em breve uma adaptação para a telona.

O livro é decorado com gravuras exóticas e de bom gosto que ilustram a história como sendo as telas que Owen pinta e cada uma delas é digna de se investir uns minutinhos de admiração. Assim como em MAYBE SOMEDAY temos uma trilha sonora exclusiva para o livro, em CONFESS temos obras de arte produzidas para dar credibilidade aos argumentos que levam Owen a pintar. Esse detalhe pra mim, é um carinho muito grande com o leitor.
"Ninguém merece estar dentro do seu corpo se não consegue entrar no seu coração primeiro" página 247
É um livro bom e bonito, mas se você não conhece nada da autora, recomendo que não comece a ler suas obras por CONFESS porque este livro não está no mesmo nível dos outros livros que ela publicou. Tem romance, sexo e superação, mas é clichê, sem sombra de dúvida.

Recomendo para quem gosta de um romance dramático e uma escrita bonita.



Um pouco sobre a autora: Colleen Hoover é uma escritora norte americana que começou a escrever romances de forma independente e atingiu números de vendas impressionantes. No Brasil, seus livros publicados são:
MÉTRICA
PAUSA
ESTA GAROTA
UM CASO PERDIDO
SEM ESPERANÇA
EM BUSCA DE CINDERELA
Comentários
12 Comentários

12 comentários:

  1. Olá!
    Eu até leio mas não sou muito fã de romances dramáticos porque não tenho estruturas para livros assim huahua Já me emocionei muito com A Culpa é das Estrelas e O Diário de Sophie, com premissas bem parecidas com a de Confess,e acredito que esse causaria o mesmo efeito. Apesar de ser clichê, me parece uma ótima história.
    Não conhecia o livro e achei essas gravuras bem interessantes. São lindas *-*
    Abraços!
    https://blogladoescuro.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Oi Ivi, tudo bem???
    Eu gostei muito da resenha e espero que esse livro seja lançado aqui, porque não consigo ler em inglês e olha que já tentei... adorei a premissa... achei muito criativo criar imagens a partir das confissões das pessoas... fiquei namorando cada imagem que você colocou na resenha, imaginando o que foi dito para a sua construção... eu adoro histórias clichês... claro que levo em consideração ao que você disse sobre o livro... mas já li outros livros da autora... então se esse for ser lançado aqui acho que não será problemas.... xero!!!

    http://minhasescriturasdih.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olá Ivi,
    Algumas vezes é bom lermos algo clichê. Eu, particularmente, gosto muito.
    Adorei sua resenha de Confess e acho que leria o livro de imediato, pois adoro o que a autora escreve, ela faz isso tudo com maestria.
    Adorei saber que tem uma trilha sonora, pois ameeei a de Maybe Someday!
    Beijos,
    http://mileumdiasparaler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oiee Ivi ^^
    Acho que ainda não tinha visto esse livro, mas, assim como você, só de saber que é da Colleen eu já quero ler...haha' Poxa, se as primeiras páginas já arrancam lágrimas, não imagino o que o resto do livro vai fazer *-* É uma pena que o livro tenha sido previsível e um pouco fraco, e clichê, ainda por cima. Mas, ainda assim, quero ler ♥
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Olá,
    Ainda não li esse livro da diva, mas com certeza é maravilhoso. Como você disse, nem precisa ler a sinopse para querer começar a leitura rsrs
    Ela como ninguém, sabe escrever um clichê carregado de drama e pode ter certeza que o choro vem rsrs
    Uma pena que nesse livro a leitura não foi tão intensa... uma pena mesmo!!!
    Parabéns pela resenha
    beijos
    Conchego das Letras

    ResponderExcluir
  6. Olá!!!
    Ainda não li nada da autora e obrigada pela dica de não começar por ele; pois fiquei tentado pela história, gravura e sua resenha clara, envolvente e sincera.

    Beijos
    Carla Fernanda
    http://livrosqueliblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Ivi!!!!!! nossa!
    Olha, nunca li nada da Colleen e assim como você, não preciso nem ler a sinopse dos livros dela para me interessar, só de ver que ela é a autora eu já fico interessada e curiosa. Esse livro eu ainda não conhecia e a capa me chamou muito a atenção e ao ver do que o livro se trata eu fiquei ainda mais instigada por essa leitura. Sobre essas imagens, uau! uma tacada de mestre da autora, dando ainda mais realidade a Owen

    ResponderExcluir
  8. Ivi, que resenha maravilhosaaa!! Já estava louca para ler esse livro, e agora fiquei ainda mais! AMO Colleen Hoover e amo um clichê kkk tenho certeza que irei amar. E caramba, essas gravuras! Colleen nunca decepciona! Espero que tragam logo esse livro aqui pro Brasil e façam uma edição tão bonita quanto a gringa :D
    Parabéns pela resenha!! <3

    ResponderExcluir
  9. Olá, Ivi!
    Poxa... pela sua resenha, fiquei com muita vontade de ler o livro! Adoro esse tipo de história que mistura romance, sexo e ainda vêm no estilo de filme!
    Não conheço nada da autora e, apesar de você ter alertado para não começar por esse livro, vou adiciona-lo à minha lista!
    Abraço!

    Karla Samira
    http://www.pacoteliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oie! Eu nunca li nada da Colleen Hoover e, sinceramente, não tenho curiosidade. Já li várias resenhas de diversos livros da autora, mas não consigo sentir interesse. Conhecer essa obra tirou toda a esperança que eu tinha de um dia dar uma chance aos livros dela. Achei lindo o fato de Owen se inspirar em confissões e desabafos para pintar suas telas e amei as pinturas que você colocou na resenha, mas essa parte da história não foi o suficiente para me atrair, ainda mais sabendo que o livro é cheio de clichês. Histórias previsíveis sempre acabam me dando nos nervos... /: Sua resenha ficou maravilhosa! Adorei o modo como explicou toda a história e expressou sua opinião. Ficou ótima!

    Beijos,
    Fernanda F. Goulart,
    Império Imaginário.

    ResponderExcluir
  11. Oii, tudo bem?
    Eu já tive a oportunidade de ler dois livros da Colleen, e devo dizer que me apaixonei nas historias, na escrita e em seus personagens. Eu digo para todos que leria tudo dela rsrs, e com o Confess não série diferente, mesmo sabendo que esse é o livro mais fraco dela.

    ResponderExcluir
  12. Olá

    O que mais me chamou atenção foram as gravuras, ainda não conhecia esse livro da autora, quando terminar de ler Hopeless lerei Confess.

    Abraços, Heitor Botti
    shakedepalavras.blogspot.com

    ResponderExcluir

 
♥ Meu Amor Pelos Livros ♥ - Todos os direitos reservados © 2014