0

Um Dia De Cada Vez (Courtney C. Stevens)


Como o primeiro livro de 2015, escolhi UM DIA DE CADA VEZ (Courtney C. Stevens) , pois já havia lido comentários e me interessei pela sinopse dramática: garota que tem a vida devastada, que começa a se arranhar e contar compulsivamente com intuito de que a dor sobreponha ao sofrimento.
“Essa é uma mudança definitiva. Eu nunca entendi que a vida pudesse ser tão drasticamente dividida, mas pode. E é. Só existe o depois. E o antes”.
Ela é Alexi (Lex para os íntimos), uma adolescente aparentemente normal, que tem um grande trauma por um acontecimento em sua vida. O livro é narrado por ela, com situações e sensações bem detalhadas, nas quais é possível perceber todo o sofrimento da personagem, que em momentos se sente como vítima e em outros como culpada por deixar que tudo acontecesse.

Os momentos em que ela se arranha ou conta as divisões da cama são descritos lentamente, como se pudéssemos acompanhar tudo em câmera lenta e sentir a agonia da garota. Lex encontra certo consolo ao visualizar letras de músicas escritas na carteira da escola, inicia comunicação respondendo os trechos e tenta imaginar quem as escreve, quem seria o “capitão letra de música”.

O livro tem início com o velório da mãe de Bodee, colega de escola de Lex. Ele é conhecido pelos cabelos coloridos (“garoto ki-suco”), isolado e introspectivo. Ao pensar que o colega teve a mãe assassinada pelo próprio pai, ela o consola.

Após alguns dias, os pais dela o levam para casa e eles se tornam amigos, se sentem identificados por seus próprios traumas. Com o tempo, Bodee passa a ser o melhor amigo que Lex poderia ter, a compreende e ajuda sem pressioná-la e se torna o protetor dela, como no tão temido baile da escola. A relação entre os dois é linda, demonstração de amizade, apoio e incentivo.

Há dois trechos muito importantes para a trama: quando Lex conta ao amigo sobre o motivo pelo qual se arranha e o momento em que Bodee conta a ela sobre a mãe, a narrativa é tensa e detalhada, dá vontade de consolar os dois! J

A identificação do responsável pelo trauma de Lex é muito bem escrita, durante todo o livro pensei que pudesse ser um personagem e é outro totalmente diferente (e visto como inofensivo), me surpreendi com a revelação. Até reli algumas páginas para conferir se havia perdido algum detalhe que me fizesse perceber quem era.
“As pessoas não nascem monstros; elas se tornam”.
O livro trata de situações complicadas /trágicas e tensas  que são descritas de forma bem real. Há ênfase na capacidade de superação, mas a forma da abordagem é interessante e justifica o título do livro: não há recuperação rápida, ocorre de forma lenta, um dia de cada vez. Ressalta a importância de confiar em alguém para que esta pessoa possa ajudar ou simplesmente escutar ou consolar.

Há uma carta da autora no final do livro, na qual ela confessa ter uma história como a de Lex, o que confirmou o tom de realidade presente em todo o livro. Constam também conselhos e dicas (estilo auto-ajuda) para quem já passou ou ainda passa por situações críticas.

Foi uma ótima escolha para o primeiro livro do ano, super recomendado para quem gosta de livros tensos / dramáticos!
“Um homem é, em parte, feito por suas palavras”.

Um pouco sobre a autora: Courtney C. Stevens nasceu nos Estados Unidos e é professora. UM DIA DE CADA VEZ é seu romance de estreia, já publicado no Brasil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 
♥ Meu Amor Pelos Livros ♥ - Todos os direitos reservados © 2014