6

O CAÇADOR DE PIPAS (Khaled Hosseini)



Oi gente que ama livros, hoje venho com a resenha do 31º livro lido em 2014 e foi O CAÇADOR DE PIPAS (Khaled Hosseini). Este livro foi uma releitura em função da MARATONA LITERÁRIA #EuSouDoidera. Dentro dos critérios que eu estabeleci, ler um livro que não tivesse resenha no blog e que eu estivesse com saudade da história, O CAÇADOR DE PIPAS foi perfeito para compor a maratona.
 
 
A primeira vez que li este livro foi em setembro de 2007 e eu estava praticamente com minha vida literária estagnada. Meu filho tinha nascido e durante a gestação eu não tinha lido nada que não fosse relacionado ao fato de ser mãe, então, quando voltei para a rotina profissional, este foi o livro que me fez voltar a ler, me fez lembrar do quanto amo ler e este motivo já teria sido o suficiente para eu amá-lo, mas além disso, a história que o Khaled Hosseini nos conta neste livro é forte, inesquecível e sobretudo, muito bem contada.
 
 
O livro nos traz Amir, um afegão que vive nos Estados Unidos a muito tempo, ele recebe um telefonema de um amigo querido que já no fim da vida, pede para que ele volte ao Oriente Médio afim de se despedir dele e esta viagem representará à Amir a oportunidade de se libertar dos demônios da culpa de algo que ele fez quando ainda era um menino em Cabul, na sua terra natal.
 
 
A partir disto,  Amir nos conta como foi a sua infância e fala sobre a amizade dele com Hassan, um menino que era filho de um criado da sua casa. Mais que isso, tanto Hassan, quanto o pai dele, eram tidos pelo pai de Amir como parte da família e conhecemos então, um Amir que transita entre ser uma criança egoísta e medrosa e também ser um menino carinhoso e feliz.
 
 
Algo muito triste acontece com Hassan e Amir e após a separação inevitável deles, acompanhamos Amir e seu pai fugindo do Afeganistão enquanto a Rússia destituía o poder político que lá vigorava.
 
 
Conhecemos a história sob a perspetiva de Amir e o quanto ele sofre e se envergonha do que fez na infância. Sua vida segue e então ele tem a oportunidade de voltar e tentar corrigir o erro que cometeu quando era criança.
 
 
O livro é nitidamente dividido em 3 partes: A infância em Cabul, a vida nos Estados Unidos e o retorno de Amir ao Afeganistão e, apesar das três partes terem um ritmo diferente, o livro é totalmente viciante e quase poético de tão bem escrito. O autor nos fala sobre uma cultura muito diferente da nossa e de uma forma tão doce que desejamos conhecer mais de um povo que só conhecemos através das notícias sobre guerra. E o autor nos fala também sobre o estrago violento que o talibã deixou em um país que vivia em paz e de forma próspera. Mas ele nos conta tudo isso sem nos cansar e ainda que algumas coisas sejam chocantes e revoltantes, como assistir uma execução por adultério no intervalo de uma partida de futebol ou saber que o administrador de um orfanato vende uma criança para que outras tantas não morram de fome, o livro é incrível, é sensível, é emocionante e eu me vi chorando outra vez com a história, ainda que eu já a conhecesse.

É uma história intensa, original, bonita. É um livro que te ganha já no primeiro parágrafo e só te liberta quando a história se encerra. É um livro que fala de amizade, amor e perdão sem ser dramático ou brega. É um livro que fala sobre vida.
 
 
Khaled Hosseini é um dos meus autores preferidos e se você ainda não leu nada do autor, este é o livro perfeito para conhecer sua obra que apesar de não ser extensa, apenas 3 livros, é fascinante.
 
 
Super recomendo. Se tiverem a oportunidade de ler este livro, não pensem duas vezes. O livro é inesquecível.
Mas apesar de ser analfabeto, ou quem sabe até por isso mesmo, Hassan era atraído pelo mistério das palavras, seduzido por um mundo secreto cujo acesso lhe era vedado. página 35
Todos os bairros em Cabul sempre organizavam campeonatos de pipas no inverno. E se você fosse um menino de Cabul, o dia do torneio era incontestavelmente o ponto alto da estação fria. Nunca conseguia dormir na véspera da competição. Rolava na cama, fazia animais de sombra na parede, chegava até a ir sentar na varanda no escuro enrolado em um cobertor. Eu me sentia como um soldado tentando dormir na trincheira na véspera de uma batalha importante. E não era muito diferente, não. Em Cabul, empinar pipas era um pouco como ir para a guerra. página 56.
A música que eu escolho para esta leitura é Música clássica no Afeganistão:



Uma versão cinematográfica foi feita deste livro, mas na minha opinião, o filme é extremamente inferior ao livro. Detalhes que fazem a diferença e alteração no final da história, fazem dele um filme ridículo. Leia o livro e depois se tiver curiosidade, confira o filme.



Um pouco sobre o autor: Khaled Hosseini nasceu na capital do Afeganistão, Cabul. Ingressou na Universidade da Califórnia, San Diego, escola de Medicina, onde recebeu o título de Doutor em Medicina em 1993. Tornou-se em 2003. Seus livros publicados no Brasil são:

Comentários
6 Comentários

6 comentários:

  1. Eu li o livro em março e a história me fez chorar descontroladamente, é um ótimo livro e te toca de uma maneira surpreedente. To so esperando uma chance pra reler de novo
    XOXO
    onthislastday.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Ai meu deus, acho que te amo, Ivi! HAHAHAHAHA Khaled é o meu autor preferido e, embora meu livro preferido seja Cidade do Sol, O Caçador de Pipas vem logo atrás. Chorei horrores com ele e concordo muito com o que você disse sobre o Amir. O que eu mais gosto é como você se revolta com algumas coisas, e é uma revolta muito real, porque o livro é muito real! Não é invenção dele e o que é descrito por lá, realmente acontecesse! Os personagens são tão humanos, com suas falhas e acertos, em todo o seu egoísmo e altruísmo. É lindo, e é difícil por em palavras! Já resenhei A Cidade do Sol no blog e levei muito tempo para fazer isso, é difícil falar de algo tão incrível!
    Parabéns pela resenha!

    bjos,
    Bianca

    www.blogsomaisum.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Acho que foi muito legal você compartilhar com os leitores do blog que foi esse livro que te fez voltar a ler :)) Achei a resenha maravilhosa... A forma que você passa as coisas que ocorreram no livro nos traz uma emoção também.... Já tinha ouvido falar do livro, mas nunca tinha lido uma resenha sobre ele... Admito que me surpreendeu bastante, pois não costumo ler livros assim e me deu vontade realmente de lê-lo rsrs

    ResponderExcluir
  4. Já li o livro e acho impossível ler e não se emocionar com a história e os acontecimentos que ocorrem com Amir e Hassan.
    Uma leitura inesquecível e por isso te lembrou o pq gostar tanto de ler.
    Adorei a resenha e ele é um dos livros que pretendo reler no futuro.
    Outro livro muito bom do autor é O silêncio das montanhas! Se tiver oportunidade, é uma ótima leitura.

    ResponderExcluir
  5. Já li esse livro, é simplesmente incrível! Foi para a lista dos meus livros favoritos juntamente com O Casamento de Nicholas Sparks. Esse livro nos mostra o quão grande é o significado da lealdade e amizade, uma forma de aprendizagem para todos nós. Recomendo para todas as pessoas que queiram ler um livro mais denso e bem estruturado. O livro é bem melhor que o filme, na realidade o filme peca muito em vários requisitos. Muitobom mesmo este livro, maravilhoso! Leiam e releiam essa emocionante história dos amigos Amir e Hassam.

    ResponderExcluir
  6. Oiiiiiiiiiiiii
    Tenho um problema serio com livros que SEI que vao me fazer chorar: fico criando coragem para lê-los!
    Esse eu também comprei e deixei ali na estante, esperando a onda de "durona" chegar!
    Sei que vou me chocar com essa parte dos castigos por adulterio e venda de crianças... Ai me coração até congelou... =(

    Beijinhos
    Sou eu... Pri!

    ResponderExcluir

 
♥ Meu Amor Pelos Livros ♥ - Todos os direitos reservados © 2014